segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Vazou a prova que o TSE aplicou em Tiririca

1 ) Um grande presidente brasileiro foi Castelo _________

( ) Roxo ( ) Preto ( ) Branco ( ) Rosa choque ( ) Amarelo

2) Um líder chinês muito conhecido chamava-se Mao-Tsé______
( ) Tang ( ) Teng ( ) Ting ( ) Tong ( ) Tung

3) A principal avenida de Belo Horizonte chama-se Afonso_______
( ) Pelo ( ) Pentelho ( ) Penugem ( ) Pena ( ) Cabelo

4) O maior rio do Brasil chama-se Ama_________
( ) boates ( ) zonas ( ) cabarés ( ) relinho ( ) ciante

5) Quem descobriu a rota marítima para as Índias foi __________
( ) Volta Redonda ( ) Fluminense ( ) Flamengo ( ) Botafogo ( ) Vasco da Gama

6) A América foi descoberta por Cristóvão Co_______
( ) maminha ( ) picanha ( ) alcatra ( ) lombo ( ) carne do sol

7) Grande Bandeirante foi Borba _______
( ) Lebre ( ) Zebra ( ) Gato ( ) Veado ( ) Vaca

8) Quem escreveu ao Rei de Portugal sobre o descobrimento do Brasil foi Pero Vaz de ________
( ) Anda ( ) Para ( ) Corre ( ) Dispara ( ) Caminha

9) Um famoso ministro de Portugal foi o Marquês de _________
( ) Galinheiro ( ) Puteiro ( ) Curral ( ) Pombal ( ) Chiqueiro

10) D. Pedro popularizou-se quando __________
( ) eliminou a concorrência
( ) decretou sua falência
( ) saturou a paciência
( ) proclamou a independência
( ) liberou a flatulência

11) Pedro Alvares Cabral _____________
( ) inventou o fuzil ( ) engoliu o cantil ( ) descobriu o Brasil ( ) foi pra puta que o pariu ( ) tropeçou mas não caiu

12) Foi no dia 13 de maio que a Princesa Isabel____________
( ) aumentou a tanajura ( ) botou água na fervura ( ) engoliu a dentadura ( ) segurou a coisa dura ( ) aboliu a escravatura

13) Um grande ator brasileiro é Francisco Cu______
( ) sujo ( ) de ferro ( ) oco ( ) largo ( ) apertado

14) O autor de Menino do Engenho foi José Lins do ______
( ) Fiofó ( ) Cu ( ) Rego ( ) Furico ( ) Forevis

15) O mártir da independência foi Tira___________

( ) gosto ( ) que está doendo ( ) e põe de novo ( )dentes ( ) cabaço


16) D. Pedro I, às margens do Rio Ipiranga, gritou_______________
( ) Hortência volte!
( ) Eu dou por esporte!
( ) Como dói, prefiro a morte!
( ) Independência ou morte!
( ) Maria, endureceu! Que sorte!


* pela transcrição da Internet, ToNy PacheCo

O Rio sob o terror

Alex Ferraz

As autoridades do Rio de Janeiro são mesmo uns tremendos caras de pau. Desaba o morro, morrem 300, e eles dizem que foi uma fatalidade, que a culpa é dos mortos por terem ido morar no lugar errado etc. etc.

Agora, a bandidagem organizada, que há muito tempo governa a cidade dita maravilhosa, botou as manguinhas de fora e, com armas "de uso exclusivo das forças armadas", está incendiando carros, metralhando viaturas da PM e da Aeronáutica, atirando granadas em quarteis, o diabo a quatro.

A isto se chama terrorismo, em qualquer parte do mundo.

Menos no Rio, onde o reeleito (!!!) Sérgio Cabral e o prefeito Paes insistem em falar de "fatos isolados".

Haja saco para aguentar tanta cara de pau e incompetência.

Mais um fim de semana violento em Bagdá...

tOny pachecO

Ligo o rádio pela manhã, cedinho, e uma senhora, em prantos, reclama, no ar, que policiais maltrataram seu filho e sua filha. Depois, abro os jornais de Salvador e vejo o caso de duas garotas, uma de 16 e outra de 13 anos, que foram torturadas e decapitadas. Avanço algumas páginas, e leio que o policial civil foi fuzilado num posto de gasolina junto da Rodoviária, na frente de clientes e funcionários. E mais adiante, leio que quatro homens fazem um arrastão em Plataforma no sábado à noite, matando um rapaz de 19 anos e ferindo um outro de 16 e ainda uma mulher. E pra não dizer que violência é exclusividade das madrugadas dos bebuns e dos bairros populares, no "chiquerésimo" Corredor da Vitória, um senhor de 73 anos foi assassinado e encontrado pelos filhos no domingo de manhã. Já no finzinho do domingo, 23 horas, no Nordeste de Amaralina, um menino de 10 anos levou bala numa operação policial e terminou morto.
Já, na Federação, o domingo à noite foi "animadésimo", com três baleados no mesmo local.
E aí vou na seção de cartas de um jornal e leio que um poeta de nome Valdeck, diz que "A cidade de Salvador não tem mais jeito, não. Moro aqui há 20 anos e só a vejo piorar a cada dia em relação à segurança. Vou sair daqui e morar num lugar mais tranquilo, pois já perdi as esperanças": em quem será que o poeta votou em outubro?
E aí eu me pergunto: por que a população baiana não liga o caos no setor de segurança pública à questão política?
"É a ignorância, seu idiota", me disse um amigo escroto outro dia.
É, porque, se bem me lembro, de cada 10 eleitores baianos, 6,2 acharam que esta segurança pública está perfeita e votaram em outubro na continuidade deste modelo. Somente 3,8 eleitores votaram contra.
E aí, o meu amigo escroto, diz em alto e bom som: "Esta maioria esmagadora de 62% tem mais é que se lenhar, não é verdade?"
Vixiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!

domingo, 21 de novembro de 2010

Mais sobre a onda de homofobia que varre o país

Ricardo Líper

Sempre se desconfiou que quem fica muito incomodado com uma coisa é porque é chegado a ela. Mas não se tinha feito pesquisas controladas sobre o fato. Entretanto, recentemente foram feitas essas pesquisas. Veja no Youtube - Estudo comprova: homofóbicos podem ser gays enrustidos ou http://www.youtube.com/watch?v=Y9UeKYF6sno


Quer dizer, quem muito diz não, um dia diz sim. Mas o aspecto mais trágico da questão é que os sociopatas que agiram de forma criminosa, recentemente, em S. Paulo, são alimentados por oganizações protestantes, católicas e outras que pregam diariamente a homofobia. Agiram, talvez, por neurose. A maioria deles age por espírito fascista. Já o protestantismo brasileiro é de péssima qualidade. Veio do Sul dos Estados Unidos. Serve à difamação de minorias e gera esses procedimentos de pessoas perturbadas que devem ser afastadas do convívio em sociedade. E os pais, tão solícitos em protegê-los, devem trancar as portas de seus quartos com cadeados na hora de dormir. Eles são perigosos. Quem faz, com o apoio dos colegas, o que esse sujeitinho fez, o torna uma pessoa realmente muito perigosa para qualquer um. Deu em merda, não foi maluco, deu em merda. E se fosse na Inglaterra ou outro país que tem lei e se cumpre, e não nesse esgoto, ele estava ferrado.
Coloque no Youtube para ver a agressão covarde do idiota agressor. http://www.youtube.com/watch?v=YEUGpEiUN44 ou "Batemos porque ele é veado".
Depois, homofóbicos que pregam em surdina, vão dizer, como os nazistas que trabalhavam nos campos de concentração, que estavam apenas cumprindo ordens... Do Senhor Jesus?
Honesto, o advogado de um dos jovens sociopatas deixou o caso. Mas teve um que disse que o seu cliente, que fazia parte da gang, não participou. Rá,rá,rá. Mas não impediu porque concordava com a ação do bandido agressor. E ainda comemorou com o amigo agressor. Imagens não mentem. Eles se ferraram. Agora, vamos ver em quê vai dar.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Apelo à presidente Dilma

Alex Ferraz

Agora é a Universidade Mackenzie – aquela mesma que abrigava hordas de reacionários quando houve o golpe militar no Brasil, todos a favor da ditadura – insurgir-se contra a sanção da lei contra a homofobia. Ou seja, mais um grupo que quer continuar discriminando e pregando o ódio aos homossexuais sem ser responsabilizado criminalmente.

Já não bastam os grupos religiosos, que anseiam por continuar discriminando e execrando os homossexuais, incitando a horda de trogloditas à violência e até ao assassinato?

Olha, só resta uma saída: a presidente Dilma sancionar IMEDIATAMENTE a lei que criminaliza a homofobia. Quem teme esta lei está querendo o estado das trevas, a perseguição, a discriminação.
Então, tem mais é que ir para a cadeia, mesmo. E ponto final!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Homofobia = Homossexual enrustido

tony pachecO

Uma seguidora do blog pergunta o que é a Homofobia sob a visão da psicanálise: é simplesmente homossexualidade enrustida. E não precisa ser psiquiatra, psicólogo ou analista para entender a máxima freudiana de que O QUE ME INCOMODA NO OUTRO SOU EU MESMO.
Vamos falar a linguagem popular, sem "psicologês".
Se eu sou um homem heterossexual, qualquer homossexual é MEU ALIADO na conquista das mulheres, porque a cada homossexual masculino que exista é MENOS UM COMPETIDOR na luta pela conquista de mulheres. Isto é óbvio.
Agora, se eu sou um homem heterossexual e estou INCOMODADO com a existência de homossexuais, é porque os homossexuais estão fazendo exatamente o que eu, no meu íntimo, queria estar fazendo, que é CONQUISTAR HOMENS. Então, para o homofóbico, o homossexual está COMPETINDO com ele, embora ele não admita isso publicamente.
Tão simples assim.
O sujeito do Exército que deu o tiro no homossexual na Parada Gay do Rio é o mais emblemático de todos. Participando de um grupo social onde há predomínio da convivência entre MACHOS, o fato da homossexualidade do outro lhe incomodar é ATESTADO de homossexualidade. Só faltaram avisar a ele que ele é homossexual.
Já os cinco jovens paulistas, estes estão na fase em que podem estar na dúvida sobre suas sexualidades, mas é um INDÍCIO FORTÍSSIMO de homossexualidade o fato de estes jovens se incomodarem tanto com a homossexualidade do outro a ponto de agredir violentamente dois jovens que são homossexuais ostensivos.
Assim como agrediram dois estranhos na rua, estes cinco jovens paulistas são SÉRIOS CANDIDATOS a agredir vizinhos, colegas de colégio, de trabalho e, por fim, os próprios pais, pois a sexualidade não-resolvida tem um componente de VIOLÊNCIA PSICÓTICA.
Recomendo ao militar do Exército e aos cinco jovens paulistas aquilo que eles mais desejam: VÃO PROCURAR UM HOMEM, seus boiolas enrustidos...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Quando o Brasil sairá da Idade das Trevas?

Zapatero enfrentou a Igreja Católica e modernizou a Espanha. E nós? Continuaremos com religiões retrógradas incentivando a homofobia e não permitindo às mulheres abortar?


TonY PachecO

O Brasil está, novamente, nos jornais do mundo inteiro, como palco de violência contra homossexuais (somos campeões do mundo em assassinatos homofóbicos).

A violência contra pessoas que fazem sexo com o mesmo sexo (no Rio de Janeiro, jovem é alvo de tiros de um membro do Exército e, em São Paulo, cinco jovens fascistas espancam dois jovens adeptos da homoafetividade) nos leva a reflexões políticas: por que povos de tradição católica mais efetiva que a nossa, como Espanha, Argentina e a Cidade do México, legalizaram o casamento de pessoas do mesmo sexo e o Brasil não? E, no caso da Espanha, junte-se a isso, liberalizou o aborto nos mesmos patamares das democracias mais avançadas do mundo, como Suécia, Noruega, Dinamarca, Holanda etc.? E, enquanto isso, o Brasil fica cada vez mais homofóbico.

A questão nos remete a postulados da teoria marxista da História. Para Karl Marx, o voluntarismo, isto é, o desejo pessoal de algum líder político, conta pouco no avanço da História, que só se daria por necessidades econômicas.

A simples observação de muitos momentos históricos, contudo, nos mostram exatamente o contrário.

Vejamos a Espanha. Ali, o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE, o PT de lá), conseguiu chegar ao poder em 1982 sob o comando de um advogado trabalhista, Felipe González, que, tal como Lula, no Brasil, foi cedendo, cedendo, cedendo a imposições de grupos conservadores e conseguiu ficar no comando do Estado Espanhol até 1996. Manipulou sindicatos e grupos sociais e promoveu o paraíso para os empresários, até que caiu.

Depois de quase oito anos de governo nitidamente direitista, o PSOE voltou ao governo com o atual “premier” José Luís Zapatero, em 2004, e propostas socialistas de verdade.

Zapatero, ao contrário de González, tinha um ideário pessoal que viria a implementar e transformou a Espanha numa das mais modernas democracias do mundo.

Contra todas as religiões, mas, principalmente, contra a poderosíssima Igreja Católica, adotou legislação liberal para que mulheres possam abortar em qualquer fase da gestação se houver má formação do feto e até à décima quarta semana (3 meses e 2 semanas), por motivos pessoais.

Adotou também o casamento entre pessoas de mesmo sexo com direito à adoção de crianças, coisa só possível em países altamente avançados, como a Holanda.

E, aí voltamos ao caso brasileiro: Lula, no Brasil, não teve coragem de tomar uma iniciativa sequer neste setor, muito embora o PT tenha projetos de lei no Congresso a favor da união homoafetiva, da liberalização do aborto e pela criminalização da homofobia.

Lula foi o González brasileiro. Em nome do poder pelo poder, compôs com teses direitistas e chegamos ao cúmulo de nas eleições de 2010 as igrejas evangélicas terem ditado os rumos da campanha.

Aí, diante do recrudescimento da intolerância e da violência homofóbica no Brasil, pergunta-se: será que Dilma será o nosso Zapatero e mandará os padres pedófilos e os pastores-comerciantes para o espaço? Ou será que teremos mais do mesmo?

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Estou tendo habilidades paranormais

Solução para o brasileiro: sentar em cima do esgoto

Ricardo Líper

Em pouquíssimo tempo os agressores que roubaram os rapazes em S. Paulo estão soltos. Não vai pegar nada para eles. Quem apanhou, apanhou. As vítimas foram roubadas, injustiçadas, mas os agressores têm papai que tem influência, dinheiro, bons advogados e pronto. O filhinho fascista tá na rua de novo para fazer o mesmo, um deles é reincidente. E tem mais, com a soltura mostraram aos outros da mesma laia deles, que espancar os outros, roubar e talvez até matar, aqui no esgoto dá em nada. Vou comprar um barba postiça, um cajado, uma sandália, escolher uma caverna e fazer profecias. Estou me adaptando ao esgoto. Viu, professorinha psicóloga especialista em educação! Não sou desajustado. Preciso me ajustar à realidade. Vou receber doações, ter tudo de bom e do melhor na caverna. Influência política. No Brasil, a norma principal é eu também quero mamar. Tive uma epifania. Agora, não quero mais ficar no esgoto, quero ficar sentado na latrina. E tem mais, pode ficar certo que esses torturadores devem ter famílias homofóbicas pregando diaramente contra o sexo entre pessoas do mesmo sexo com medo de um filho se envolver com essa coisa. E, às vezes, tenho de ouvir a conversa mole de que o Brasil ainda tem jeito. Jeito como? O negócio é mamar. Subir dos canos do esgoto para o vaso sanitário. Se os rapazes agredidos fossem ricos estariam andando nos seus carrões. E, possivelmente, evitariam a agressão. Se tivessem muito dinheiro, contratavam um advogado daqueles que sabem mamar, compram tudo de bom para ser um bom profissional para trabalhar direito e tomava as casas dos papais dos agressores. Aí sim, estamos começando a entender como viver no Brasil. Tive essa epifania, minha gente. Ah, Maquiavel, será que você está me mandando essas epifanias? Será que você será agora meu guia protetor? O negócio é mamar. E outra epifania, os pais estão satisfeitos com o espancamentos dos meninos. Lá dentro, no fundo d'aaaaaaaaalma. Eles espancaram veados. Isso pode ser, quem sabe, uma prova que não gostam de veadagem. Sem dizer a ninguém, se você tivesse um filho adolescente e ele batesse num veado, você poderia até se chatear com o acontecido, fazer discursos contra, falando de democracia, mas pagava satisfeito os prejuizos, não é? Do fundo d'alma. Não diga a ninguém. Mas você e sua mulher, do fundo d'alma gostaram. E, depois, no churrasco, final de semana, com aqueles amigos mamadores, muita risada. Você dizendo: "Os veados correram". Você imitando os veados correndo e dizendo ai! ai! Gritando, embriagado e correndo pela grama de sua mansão. E encerrando com uma frase estrondosa. A esquerda do Juninho é boa. Mas também puxou ao pai, né? Deixe de hipocrisia. Você preferiria um filho veado ou um filho espancador de veados? Não precisa dizer. Do fundo d'aaaaaaalma.........

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Pobre Brasil!

Este rapaz também foi atacado, por causa da homofobia, em 2007, em Niterói.

Ricardo Líper

No último domingo, dois rapazes, de 20 e 19 anos, foram espancados por cinco fascistoides homofóbicos em S. Paulo. No Centro da maior cidade deste infeliz país. Cinco covardes contra dois inocentes. Um desgraçado de 16 anos no bando. Rapidamente chamo a atenção para o seguinte. Eles são o instrumento, apenas. A homofobia não surge do nada. O analfabeto, o desequilibrado mental, o fracassado, o embriagado só vão agir a mando do neonazista atual. E quem é ele? O crente, o conservador, o sujeito homofóbico, nazista por vocação, que prega contra o que o seu delírio anti-humano e fascista dita. Os agressores são resultado de uma sociedade extremamente homofóbica. Desde grupo religiosos, até programas de televisão que ridicularizam o comportamento que não seja o oficial do Brasil do século XIX. Eles propagando a homofobia contribuem diariamente para a agressão sistemática de quem não segue os padrões do Brasil de 1900. Será que Jesus que teria dito amai ao próximo como a si mesmo, se na terra ainda andasse, incentivaria com suas pregações e acordos políticos grupos como esse atacarem pessoas? É desse Deus que eles se dizem crentes? Se esse Deus bíblico existe eu não queria ser esses crentes brasileiros. O castigo divino que cairia sobre eles seria terrível por pomover esse tipo de agressão. O Brasil é um dos países mais homofóbicos do mundo. O resto é hipocrisia ou oportunismo político. Oportunismo frágil que a qualquer interesse maior mostra a real face. Cadê a lei contra a homofobia que poderia minimizar esse tipo de comportamento? Não vai ser aprovada nunca. Portanto, vão aqui algumas dicas para se sobreviver nessa sucursal do Irã. Primeiro, quem faz sexo com o mesmo sexo deve compreender que vive em uma sociedade e num Estado homofóbicos. Não acredite em demagogia. Não vacile, pois será agredido e morto. Devem morrer mais gays aqui do que no Irã. Podendo, peça asilo político a outras nações. Nunca andem de mãos dadas ou façam qualquer tipo de carinho em público. Vocês não estão na Dinamarca nem em nenhum país civilizado. Vocês estão em um esgoto. Só andem em grupo. Os que podem devem aprender a lutar. Entrem em uma academia de luta. Luta de rua. Entendam que o menor no Brasil pode tudo. Nada pega para ele. Não é como a Inglaterra e outras nações que crime é crime, não importa a idade. Você não pode comprar uma arma para se defender como também ocorre em vários países do mundo. Portanto, qualquer agrupamento, principalmente de menores de 25 anos, é extremamente perigoso. Nem olhe para nenhum deles. Nunca fale nada com eles. Nem uma simples informação. Eles fazem parte de uma geração perdida, analfabeta, drogada, alcoolizada, com sérios problema emocionais. A juventude neste país faliu. Cuidado com eles. São em geral psicopatas de grande poder de agressividade. Lembrem-se do índio que foi queimado vivo em Brasília. Não tenha memória curta. E, para terminar, uma coisa curiosa: esses fascistoides que agrediram os rapazes recentemente são alunos de uma escola de alunos ricos, mas roubaram suas vítimas. Ladrões, portanto. Assaltaram depois de torturar. Por sorte foram presos. E aí vou dar uma de profeta. Vai dar em nada. E outras vezes acontecerão a mesma coisa. Cabe a quem gosta de se relacionar com o mesmo sexo ficar atento. O brasileiro, o que inclui todos os governos que já tivemos, gosta de parecer mas não ser. Essa é a principal característica da alma nacional. Parece ser liberal mas não é. Parece ser civilizado mas também não é. Parece ser socialista mas também não é... E nessa ciranda uma elite vai mamando atrás da outra, fazendo conchavos e acordos e você se lenhando cada vez mais nesse esgoto. Não se iluda: todos nos Brasil correm perigo de vida. Os gays, os índios, principalmente os da cidade, os negros e pobres, as mulheres correm duas ou três vezes mais riscos.

sábado, 13 de novembro de 2010

Concordo plenamente com Lula

Alex Ferraz

Assino embaixo das declarações feitas por Lula em relação a mais esta sabotagem do Enem. Em que pese o presidente não ser nenhum exemplo de defensor da educação esmerada, ele disse corretamente ao afirmar que "o Enem é vitorioso" e que é uma grande conquista. Isto mesmo.

O problema é que tem um grupo aí doido para ver o fim do exame, pois a aprovação automática para a universidade tem tirado das fábricas de candidatos que são os cursinhos uma grande fortuna. Daí o boicote, a sabotagem, que infelizmente não consegue ser impedida, seja por incompetência dos que comandam o processo, seja, quem sabe, até pela participação de alguns deles no esquema de boicote (quando se trata de lidar com seres humanos, poder e dinheiro, não duvidem de NADA, absolutamente de NADA, sob pena de posarem como otários).

Agora, o nível do nosso ensino médio e a capacidade dos alunos que chegam até o Enem e, via ele, à universidade, é outra história. Precisa melhorar anos luz.

Curioso: todos os que criticam as "falhas" (para mim, fraudes explícitas) do Enem não se aprofundam em hipóteses e, a priori, condenam o exame conceitualmente.
Huuuuum!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Três Bombons e Uma Bomba - VIII


tony Pacheco



John McTiernan fez, entre 1985 e 1987, um dos mais instigantes filmes de ficção científica: "O Predador", escrito por John Thomas e Jim Thomas. A criatura espacial que caça homens das forças especiais dos EUA à procura de uma autoridade nas selvas da Guatemala é muito bem elaborada e ainda tem alguns "plus" que é o cabelo rastafari, sangue verde, visão infravermelha térmica e invisibilidade que pode ser acionada a qualquer momento. Do lado terrestre, o herói de todos os californianos e austríacos, Arnold Schwarzenegger, incrivelmente bem neste filme no qual ele precisa falar o mínimo e agir o máximo (o mesmo caso de "O Exterminador do Futuro", que ele merecia um Oscar por desempenhar tão bem um papel contendo apenas uma fala - "Hasta la vista, baby!"), simplesmente impagável.
Agora, em 2010, surge a melhor continuação de "O Predador" de Arnold: trata-se de "Predadores", com Nimrod Antal como diretor (não sei quem é nem vou pesquisar hehehehehhe) e por dirigir na mesma linha de John McTiernan, o filme torna-se interessante, até porque, desta vez substituiu-se a Guatemala por uma lua do planeta do qual são originárias as criaturas caçadoras do filme que foi lançado em 1987. Estrelando, Adrien Brody, o feio mais sensual do cinema americano e a belíssima e sensual brasileira Alice Braga.
A única coisa que não gosto muito nas ficções de cinema, como "Avatar" e este "Predadores", é não exercitarem a imaginação e pensarem em planetas e satélites que não tenham uma vida semelhante à terrestre. A possibilidade de encontrarmos seres respirando oxigênio e planetas com florestas é um trilhão de vezes mais improvável que ganhar na MegaSena. É quase inimaginável que o Universo tenha combinado tantos elementos na Terra e tenha repetido, na mesma dosagem, em qualquer outro lugar do espaço sideral. Isaac Asimov deixava isso claro em sua obra, pois além de ficcionista era cientista. Somos os únicos seres vivos do Universo e se existirem outros, não há como, fisicamente, eles terem contato conosco nem nós com eles por causa das distâncias ciclópicas.
Mas, voltando à vaca fria, divirtam-se neste feriadão comparando "O Predador" de Arnold Schwarzenegger com "Predadores" de Adrien Brody e depois deixem aqui no blog o seu vencedor da disputa.

BOMBONS

1. "O Predador" (Predator) , direção de John McTiernan, com Arnold Schwarzenegger.
Cotação: **** (4 de cinco estrelas possíveis)
2. "Predadores" (Predators), direção de Nimrod Antal, com Adrien Brody.
Cotação: *** (3 estrelas)
3. "Dália Negra" (The Black Dahlia), direção de Brian De Palma, com Josh Hartnett, Scarlett Johansson, Hillary Swank e Aaron Eckhart. História real de um assassinato em Los Angeles. Um triângulo amoroso envolvendo dois policiais-boxeurs e a belíssima Scarlett. De quebra, como Hollywood foi construída, quer dizer, as casas debaixo do letreiro: corrupção e dinheiro fácil. Único defeito: as histórias têm muitos entrelaçamentos e pessoas burrinhas, como eu, se perdem.
Cotação: **** (4 estrelas)

UMA BOMBA

"De Pernas pro Ar"
(House Broken), direção de Sam Harper, com Danny DeVito e grande elenco de meninas que põem os peitos pra fora e rapazes louros que mostram suas bundinhas a todo momento. Sim, você está pensando: "Como o maravilhoso DeVito pode fazer comédia e ela ser ruim?" Yes, he can! Previsível, idiota e piegas até onde um filme pode ser piegas. Teste e deixe aqui um comentário seu.
Cotação: * (uma estrela, se pudesse, daria meia).

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Eu quero um Trem Bala Rio-São Paulo

TonY PachecO

Quando o governo Wagner/PT anunciou que pretendia construir a Ponte Salvador-Itaparica, os grandes intelectuais da Bahia disseram que era "manobra político-eleitoral", "atentado ecológico" e eu postei aqui neste blog: "Eu quero uma Ponte Salvador-Itaparica" e ainda postei uma foto da mezzo ponte-mezzo túnel submarino que liga a Dinamarca à Suécia. Gosto quando políticos em vez de ficarem só embolsando dinheiro deixam obras que ficam para o uso de nós, o povo. E a Ponte Salvador-Itaparica é uma delas. Ainda me lembro, molecão mineiro, quando a ditadura militar resolveu construir a Ponte Rio-Niterói. Embora o regime fosse monstruoso, a obra, pensava eu, ficaria para o povo utilizar. E foi assim.
Agora, vem os coleguinhas da mídia esculhambar o projeto de Dilma Rousseff de construir o Trem Bala Rio-São Paulo. Boa parte dos brasileiros, com nossa cabecinha pequena, que não consegue ver nada além dos interesses imediatos, ficou com o pé atrás, alegando "que temos prioridades maiores". Ora, esperar o Brasil resolver seus problemas sociais para construir infraestrutura significa voltarmos a morar em árvores pulando de galho em galho....
A China não resolveu quase nada e mantém 800 milhões de pessoas na miséria - só 500 milhões de chineses já usufruem do desenvolvimento do país, os outros 800 continuam como no tempo da dinastia Ming... Só que a China está construindo, simultaneamente, a maior quantidade de rodovias, ferrovias, metrôs, portos, pontes, aeroportos como nunca se viu antes neste planeta. E dentro de 20 anos terá ultrapassado os Estados Unidos em infraestrutura.
Um Trem Bala Rio-Niterói será, antes de mais nada, um símbolo para o brasileiro voltar a pensar as ferrovias como a mais barata e confiável maneira de se transportar pessoas e mercadorias. Dá-lhe Dilma, não pare por causa de mentes que pensam pequeno.
Estou falando estas coisas porque fui desafiado por dois petistas, numa roda de cerveja no Largo do Tororó (eita lugarzin legal), que eu não teria coragem de ver coisas positivas nos governos do PT. Realmente, não me conhecem... Que me lembre, fui o único jornalista na Bahia a escrever defendendo a idéia de Wagner de construir a Ponte Salvador-Itaparica. E digo mais, ao contrário da Fonte Nova, que é uma bobagem caça-níquel para uns poucos, a ponte será um marco histórico que deixará o nome de Wagner na história do País, se ele tiver coragem de iniciar, realmente, a obra, como Costa e Silva ficou ao assinar o decreto de construção da Ponte Rio-Niterói. Ele era um ditador sanguinário? Era. Mas a ponte ficou para os brasileiros. Pior é se ele SÓ tivesse deixado uma pilha de cadáveres. Ponto.
Três outras coisas positivas do PT que posso lembrar agora é a fábrica de medicamentos anti-AIDS que Lula está fazendo em Moçambique, país onde de cada 4 pessoas, uma está com AIDS. E mais extraordinário, ainda, é a construção de uma universidade em Moçambique. Pra quem não sabe, este país de colonização portuguesa, como nós, faz parte da Comunidade Britânica (sic) de Nações, a Commonwealth, desde 1995, porque não tinha meios de ensinar Português a seus cidadãos, por falta de apoio de Portugal e Brasil, os dois maiores países lusófonos. Os países anglófonos começaram a ensinar Inglês por lá. Lula reverteu isso, agora, com o auxílio para uma universidade em que se ensinará em Português aos moçambicanos. Uma visão geopolítica transcendental, digam o que disserem os adversários de Lula e do PT.
Finalmente, o apoio que o governo Lula/PT tem dado ao Timor-Leste é outra coisa de geopolítica que acho elogiável. Escrevi em "A Tarde" há muitos anos um artigo sobre a importância de o Brasil apoiar o novo país que nasceu em 1999, pois a Austrália já estava de olho gordo naquela nova nação, dispondo-se a ensinar Inglês aos locais e ainda mandando tropas. Lula tem ajudado na educação timorense em Português e sem dúvida alguma, no futuro será uma plataforma brasileira para a riquíssima Ásia.
Pronto, falei. E enquanto não houver censura neste País, digo o que pensar, o que quiser, pois este é o valor universal que a democracia burguesa trouxe para a Humanidade: a liberdade de expressão, que não deve ser limitada em hipótese alguma, como diz a Constituição dos EUA.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

ENEM e a persistência no erro

tonY pacheco

Meu pai educou os filhos assim: "Errar é humano. Persistir no erro é burrice."

Lá dos confins da África, o presidente Lula, diante do ENÉMsimo erro do ENEM (trocadilho fraco em homenagem ao rei dos trocadilhos brilhantes, Alex Ferraz), disparou: "O ENEM foi um sucesso absoluto".
Já o ministro de Lula da área de Educação, Hadad, que parece galã de novela, livrando o seu da reta e culpando todo mundo, menos ele, responsável-mor pela realização do ENEM, insiste no erro.
O ministro não entende, pois não tem formação sociológica para entender, que UM SÓ ESTUDANTE prejudicado por erro do governo, já é suficiente para anular para todos a parte do concurso com problemas criados pelo governo. Se forem 1.000, piorou. Se forem milhares, como foi, aí fu...
E não pode, como o ministro quer, aplicar provas para os prejudicados e deixar outros milhões fora da prova, pois estes que se sujeitariam a uma nova prova, estariam penalizados com TRÊS PROVAS, enquanto aqueles, só duas. É a institucionalização da injustiça.
Se houve erros (e como!), a todos devem ser aplicadas as mesmas novas provas, pois senão teríamos um grupo privilegiado que só se estressou uma vez.
Isto é tão óbvio em se tratando do Direito, mas este pessoal não tem humildade. Nem competência.
Se bem assessorados, diriam logo, no primeiro momento: "Erramos. Errar é humano. Vamos corrigir já, aplicando nova prova a todos indistintamente, resguardando a credibilidade do ENEM."
Mas não: preferem tocar-o-terror e manter milhões de jovens no suspense, na angústia.
Vá gostar de fazer o povo sofrer assim lá na China. Literalmente!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O silêncio dos cooptados

Alex Ferraz

O Enem está sendo escancaradamente sabotado pelos donos de cursinhos de pré-vestibular, que não querem saber dessa história de fim de vestibular. Na minha opinião, esta é a real.

A incompetência de quem dirige o exame deixa as portas abertas para isso.

No meu tempo de estudante, quatro milhões de colegas feitos de bobos, como ocorre agora, resultariam num levante estudantil, capitaneado pelo então gloriosa e honrada UNE.

Hoje, a União Nacional dos Estudantes esconde-se sob o silêncio covarde e execrável dos cooptados.

É foda!

domingo, 7 de novembro de 2010

ENEM, oligofrenia, maldade e incompetência

toNy PACheco

Eu sei que a maioria nem está aí para a nossa idiotia coletiva crônica. Mas desde que comecei a estudar psicanálise (é um estudo que não termina nunca, ninguém pode se considerar especialista "formado" em psiquiatria, psicologia ou psicanálise, pois a cada minuto há algo novo a pesquisar ou descobrir...) que isso é um tema que me instiga e incomoda.
O nariz-de-cera foi para comentar o caso do ENEM 2010. Trocaram a ordem do cartão de respostas em relação ao caderno de questões no primeiro dia de provas.
TODO ANO É A MESMA MERDA. Tem sempre um problema. Não existe sequer um funcionário competente no Ministério da Educação que tenha CAPACIDADE INTELECTUAL para administrar o processo. Num ano é fraude, no outro é questão mal formulada, neste ano é inversão de dados.
E ainda querem dizer que estão fazendo uma revolução na Educação...
Somos um país de quase 190 milhões de pessoas e 56 milhões estão abaixo da linha de pobreza, entra governo e sai governo... A maioria sofre de uma idiotia crônica gerada pela falta de Educação.
Só a Educação poderia nos libertar, a longo prazo, deste inferno em vida que é viver num país onde só meia-dúzia consegue um mínimo de felicidade (e, assim mesmo, ameaçados de todos os lados).
Mas é justamente a Educação que nossas classes dominantes, há 510 anos, VIGIAM ATENTAMENTE para que não tenhamos.
Estes "problemas" suspeitíssimos no ENEM são uma prova disso.
Não há luz no fim do túnel.

Relato de Viajantes

Ricardo Líper
Um professor foi fazer um doutorado em Nova York. Passou um ano lá. Encontrei-o ontem. E, como tupiniquim, perguntei o que tinha achado da cidade, o dia-a-dia etc. E, nunca podia imaginar que ele ia me dizer que não tinha assaltos e assassinatos como aqui e, pasmem, no metrô você compra um cartão por mês, para transitar, por noventa dólares, ou por semana se quiser. Pois bem e anda sem pagar nada mais quantas vezes quiser. Lá, Brasilino, eles não são governados por empresas de transportes. Comida barata. Ele terminou com a frase: se aposentar aqui e ir morar em N. York. Ele disse que economizava dinheiro lá enquanto aqui sempre está devendo. Eu fico tão admirado e pasmo que só acho que essa gente fica exagerando. O pessoal do governo que queria, espero que só queria, censurar a imprensa, devia censurar e multar essa gente que viaja e fica relatanto o que viu por lá. Eu sempre imaginei que em N. York seria como aqui. Não se pode sair sem ser importunado por pedintes, assaltantes, traficantes etc. Polícia violenta danto tiro em todo mundo etc. Logo N. York... Não é a Escandinávia nem a Suiça, minha gente, é N. York.

sábado, 6 de novembro de 2010

Vale a Pena ler de Novo


Alex Ferraz

Faço minhas as palavras que se seguem, em artigo publicado na edição de sábado (6 de novembro) pelo jornal Tribuna da Bahia, reproduzido da Folha de S. Paulo, de autoria de Cláudio L. N. Guimarães dos Santos, 50 anos, escritor, médico e diplomata, mestre em artes pela ECA-USP e doutor em linguística pela Universidade de Toulouse-Le Mirail (França):
“Sem olhos em casa
Segundo Karl Mannheim, uma sociedade moderna dificilmente consegue escolher bem o seu futuro sem a presença de intelectuais independentes. Somente eles, com seu saudável poder corrosivo, são capazes de garantir a existência de uma opinião pública crítica.
Para fazê-lo, contudo, os intelectuais precisam defender o seu direito de pensar como melhor lhes pareça e recusar a adesão canina a esta ou àquela ideologia, a este ou àquele partido.
A sua falta de identidade coletiva -de ‘espírito de manada’- é o que lhes proporciona a autonomia imprescindível à realização de sua missão: examinar, sem descanso, as soluções conflitantes de um problema antes de rejeitá-las ou de assimilá-las.
Todavia, por rever constantemente as suas opiniões, a intelectualidade ‘não engajada’ é vista com reservas pelos adeptos do ideal gramsciano de ‘intelectual orgânico’, paladino de ‘sua classe’. Estes não suportam o inquietante inconformismo das mentes livres, as quais se encontram, por isso mesmo, em grande perigo nos regimes populistas.
Tal fato, infelizmente, nem sempre é percebido com clareza, já que, ao contrário dos ditadores declarados -que eliminam os intelectuais indesejáveis sem nenhum pudor-, os governantes populistas preferem atuar de modo mais discreto.Buscam, inicialmente, cooptar a intelectualidade ‘rebelde’, minando-lhe a independência por meio de favores.
Se não o conseguem, procuram desacreditá-la perante a população, o que se dá não tanto pelo confronto direto, mas pelo ataque aos meios de comunicação pelos quais se expressa, que são acusados de serem ‘contra o governo’, ou, ainda pior, de serem ‘contra o povo’.
A artimanha, porém, só funciona quando o aparato crítico dos indivíduos aos quais se dirige apresenta um nível rudimentar, resultado das graves deficiências educacionais de que padece a maioria da população nesses regimes: pessoas esclarecidas não se deixam engabelar por pregações descabidas.
É por isso que os governantes populistas, além de lançarem mão de farto assistencialismo e de retórica demagógica pela qual se apresentam como ‘pais do povo’ e ‘salvadores da pátria’, tanto se esmeram em dificultar o acesso dos cidadãos à informação diversificada.E o fazem seja pela restrição ‘bem-intencionada’ à liberdade de imprensa, seja pela utilização de instrumentos próprios, como as redes de TV ‘públicas’, que funcionam, quase sempre, como veículos da propaganda oficial.
O populismo deforma os cidadãos como nenhum regime autoritário é capaz de fazê-lo. Ele os perverte desde dentro, destruindo a sua resistência crítica. Ele os faz crer que são suas as razões que o regime neles implanta sutilmente.
Ele os convence de que a loucura que os acomete constitui uma maneira mais lúcida de ver as coisas.
As vítimas do populismo, ofuscadas por essa luz malsã não só não lamentam como até comemoram a destruição do pensamento independente. Ao fazê-lo, porém, colocam-se, ingenuamente, ainda mais à mercê dos hábeis governantes, dóceis e desarmadas, sem olhos em casa.”

A questão é o armário

Que sua experiência de vida e militância nos leve a uma situação melhor. Boa Sorte, Senhora Presidente.

Ricardo Líper

Pode parecer que nós estamos contra o governo. Nunca estivemos. Estamos contra, vamos repetir, a hipocrisia, as manobras, as mesmas construtoras fazendo e acontecendo, os mesmos coronéis do capital mandando. E a qualidade de vida desmentindo a ideologia. O que seria muito bom é essa elite sair do armário. Não posar de esquerda. Não sugerir que está fazendo tudo pelo bem do povo, pela fome zero, pelos miseráveis. Sair do armário. Ser humilde. Evitar equívocos como o episódio de ópera bufa que foi termos de engolir o nazista que governa atualmente o Irã sendo homenageado no Brasil. De termos de tolerar os crentes serem força política reverenciada e debatida como coisa séria por todos os candidatos. Sei, é estratégico. Mas será que Marx e Engels fariam isso? É interessante a história de Cinderela, é. Há uma certa satisfação de se ter colocado para correr as elites tradicionais, arrogantes, responsáveis pela grande miséria em que nos encontramos, também é. Mas não se precisa pensar como a esquerda festiva que hoje é esquerda carguista e está muito certa. Se você lutou a vida toda por um ideologia de esquerda porque não ocupar um cargo bom no governo que você ajudou a colocar no poder? Acho justíssimo. Agora reconheçam que a vitória foi por pouco. E isso é preocupante. Que a outra elite está se fortalecendo cada vez mais. Tem de se ter cuidado com as tolices, o excesso de impostos, a gasolina com um preço altíssimo, porque termina levando o número de descontentes aumentar e votar nas próximas eleições, até no vento, mas jamais naqueles que foram negligentes. Não se pode mais errar. Que a equipe do governo eleito tenha a sensibilidade para consertar os erros. Os impostos, repito, estão demasiados. O povo está sem emprego, sem atendimento de saúde com seriedade, sem escolas. Aliás, como sempre. Que Dilma seja firme, mas evite privilegiar quem não merece e deixar quem merece de lado. Que compreenda que não é sangrando a população com impostos, inclusive o de renda, que se vai fazer desse país um país feliz. Que não são os crentes nem os ditadores que serão os melhores companheiros. Enfim, eu que não tenho a menor esperança mais com nada que ocorre nesse país, confesso que sempre ainda espero, enrustido, dentro do armário, que essa mulher com o passado heróico que tem, nos proporcione ou inicie uma qualidade de vida melhor para todos. Para eu colocar no peito o seu retrato e sair fazendo campanha para sua reeleição como farei, se um boato que ouvir for a sério, para um certo candidato ao governo de um certo estado. Tá vendo aí, esquerdinha de merda, que você não sabe ler? Raciocina como menino besta do movimento estudantil dos anos 80 do século passado. Você com sua ingenuidade e burrice é quem mais atrapalha. Exemplo claro. Quando Dilma, enquanto você queria censurar tudo, principalmente a imprensa, disse que não censuraria a imprensa, fez Alex a elogiar aqui no blog ou você não leu, só lê o que quer e como um bebê chorão não suporta críticas, se pudesse mandava todo mundo para o campo de concentração ou, quem sabe, para a Nigéria como um outro escreveu não contendo sua homofobia. Espero em Deus que racistas, fascistas, homofóbicos, não nos leiam para continuarem assim como são e serem esculhambados por todos por sua falta de caráter. Racismo, homofobia e qualquer tipo de preconceito e disciminação é falta de caráter. É um grave defeito de caráter. Seja que pretexto for. É apenas isso. Falta de caráter. Canalhice, em suma.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Três Bombons e Uma Bomba - VII

"Um Sonho Possível" é uma história real. Incrível, mas é real.

tOny pAcheco


Gosto de filmes que me divirtam (em primeiríssimo lugar) e me tragam algum conhecimento extra para que eu possa refletir sobre o mundo e minha vida. Nesta semana há dois assim.

OS BOMBONS

1. "Um Sonho Possível" (The Blind Side), direção de John Lee Hancock, com Sandra Bullock (quase irreconhecível, pois está quase nada canastrona num papel revelador do seu talento), Quinton Aaron (o negro que faz o papel do jogador de futebol americano) e a aparição absolutamente rouba-cena de Kathy Bates, que eu comparo o desempenho cênico com a brasileira Teresa Raquel: basta aparecer, sem falar nada, que já rouba nossa atenção.
É uma história de autossuperação, tema muito querido dos americanos. Um menino negro pobre, com mãe sacizeira (viciada em crack), encontra uma peculiar forma de se livrar do mundo cruel: ele fecha os olhos toda vez que vê uma coisa que possa fazê-lo desacreditar nas pessoas. Quem ensinou isso a ele foi a mãe, para que ele não a visse fazendo sexo por dinheiro ou por droga.
Há um ponto no filme, entretanto, que quero chamar a atenção: a extrema pobreza de pelo menos 50 milhões dos 311 milhões de americanos. O filme confirma o que vi em minhas duas viagens aos EUA: uma maioria (aqui, no Brasil, é uma minoria) que vive de bem a extremamente bem, e uns 12% da população que vivem extremamente mal. A personagem principal, Aaron, é parte destes miseráveis. Veja a indigência que é a vida nos subúrbios das cidades americanas: aqui, no caso, Memphis. Vejam a cena do serviço público de lá: pior que o nosso. Ou igual. Os EUA são a sucursal do inferno para uma parte de seu povo. Confira!
Cotação: **** (4 de 5 estrelas possíveis)

2. "Tempo de Violência" (Harsh Times), roteiro e direção David Ayer, com Christian Bale (um ator fantástico, que, aqui, também é produtor executivo) e a linda dona-de-casa desesperada Eva Longoria (de "Desperate Housewives", da TV fechada). Christian Bale é um ex-fuzileiro naval americano sociopata, com traumas de sua participação na Invasão do Iraque. Volta aos EUA querendo fazer parte dos órgãos de repressão ao tráfico de drogas. Mas é usuário de maconha (tão previsível, não é mesmo?). Ele tem um amigo mexicano, vivido pelo ator Freddy Rodriguez. Resumo: veja, novamente, como uma sociedade capitalista altamente competitiva e excludente pode produzir filhos aterrorizantes. Imperdível!
Cotação: ***** (5 estrelas)

3. "Três é Demais" (These Girls), com David Boreanaz (sim, aquele homenzarrão bonito que era vampiro na TV fechada e hoje é investigador policial em "Bones"). Direção de John Hazlett. É uma comédia superinteligente sobre a nova moral sexual aqui do Ocidente. Boreanaz é casado, tem uma filha e vende maconha para sobreviver. Sua mulher precisa trabalhar até 3 da manhã e ele precisa de uma babá. Contrata uma adolescente e, claro, começa a transar com ela. Duas amigas da moleca descobrem e transam com ele também, tudo sob um pacto feminino de dividir o homem pelas quatro: ele fica exausto. Cansado, o homão arma para se livrar delas. Tudo dá certo. E dá errado. Como na vida real. Você vai rir ao se ver na tela (ou ver seus amigos e conhecidos).
Cotação: *** (3 estrelas)

UMA BOMBA

"A Jovem Rainha Vitória" (The Young Victoria), direção do genial Martin Scorsese de "Taxi Driver", com atores não muito conhecidos, talvez com a exceção de Miranda Richardson. Trata dos primeiros 20 anos do reinado de Vitória, a rainha superconservadora da Inglaterra. A falha básica do filme é a inverossimilhança. Isto é, é, historicamente, mentiroso. Primeiro, Vitória deveria ser representada por uma atriz bem feia, pois ela era uma bozenga. Depois, a questão do autoritarismo de Vitória não foi bem explorada: era uma pessoa intolerável, muito mais do que o filme mostra e não há registro de que fosse uma pessoa risonha como no filme. Mas é muito bem realizado e vale por uma frase que eu dedico a Ricardo Líper: "Os médicos franceses matam os seus pacientes. Os médicos ingleses deixam os pacientes morrerem em paz." Se você abstrair a verdade histórica, vai gostar. Se não, vai odiar.
Cotação: ** (2 estrelas).

Brasilite

Mao Tsé-tung disse: "Quando o sábio mostra a lua o idiota olha para o dedo".

Ricardo Líper

Se eu pudesse, imitaria Kant (que nunca saiu de Königsberg) e jamais sairia de Salvador. Não sou chegado a viajar. Já viajei , mas hoje em dia acho estressante. Mas a realidade não perdoa. Vou ter de ficar, assim que tiver algum dinheiro, passando tempos fora para não morrer, prematuramente, de brasilite. Os governos brasileiros, devido à negligência generalizada, matam mais do que o Terceiro Reich matou e todo mundo acha natural. Não é só aqui não. O Haiti é um exemplo radical. Mas não se tem filmes a respeito. Já notou isso? Sobre o Reich acho ótimo, temos um enxurrada de filmes para odiar os nazistas para todo o sempre. Ah! como gostaria de ver filmes mostrando a brasilite. Por isso gostei tanto de Tropa de Elite 2. Gosto de ser brasileiro, gosto de meu país e sinto uma imensa, mas imensa mesma, pena dele e de nós, brasileiros, pela miséria, em todos os sentidos, em que vivemos. Não vivo de ilusão, não estou vivendo de dinheiro dado por políticos e cargos ocupados a partir deles para defender os seus interesses. Não é por moral não. Aconselho a todo brasileiro apoiar políticos para ganhar empregos. Nada demais. Só quero que saia do armário. Não venha me falar de socialismo, mudanças espetaculares na sociedade, saia do armário, assuma que está ganhando algum dinheiro com o atual governo e por isso vota e o defende. Queixou seu emprego. Conseguiu. Assuma, você fez jus. Não acho nada demais. Todo mundo, que encontro, que pertence a um partido, que está puxando o saco de políticos para poder comer, digo sempre que se puder mamar, mame. Exija ou lute por seu cargo. Só não acredito no que dizem. Que estão fazendo isso e aquilo, que vamos ser uma grande potência, essas coisas todas, porque o meu critério epistemológico de avaliação é a qualidade de vida do dia-a-dia. Como posso acreditar nesse papo de espartalhões se o que vejo é o oposto? Que dialética é essa? Brasilite é o que mata muita gente. O que mais mata no Brasil hoje é a brasilite. Uma pessoa que morre por falta de atendimento hospitalar morreu de brasilite. Uma outra que, por ser idoso, morreu de infecção pulmonar, ao precisar de um hospital, morreu de brasilite. Negligência criminosa somada à impunidade. A desorganização da sociedade, a mamação ilimitada, a negligência, matam. Some à impunidade e temos a maior epidemia que poderia nos atingir: brasilite. Corrijam qualquer coisa se tiver errado, mas se lembre que, se não me engano , quem disse foi Mao Tsé-tung (psiu! copiei o nome dele da Internet, como você faz, não sei mandarim); ele teria dito: "quando se mostra a lua o idiota só vê o dedo"...

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Multiculturalismo e barbárie

Manifestação na Embaixada do Irã em Roma: os italianos não são indiferentes como nós...


tonY pacheco


O caso da iraniana Sakineh é emblemático do beco-sem-saída a que chegou a visão politicamente correta das últimas décadas, que prega um mundo de respeito ao multiculturalismo, isto é, que devemos respeitar os costumes de outros povos.
Só que o tal respeito desembocou em sabermos, hoje em dia, graças à globalização das comunicações trazida pela Internet, que há vários países, várias regiões, várias tribos pela Terra afora com costumes que são a mais absoluta barbárie.
O que os povos muçulmanos fazem com as mulheres, por exemplo, é intolerável. Uma menina filha de pais islâmicos já começa a sofrer violência física nos primeiros minutos de vida, ao ter seu clitóris extirpado sem o menor cuidado médico (e mesmo que tivesse este cuidado seria horrível do mesmo jeito) apenas para que a sociedade machista maometana possa dar prosseguimento à sua tradição de tentar impedir que a mulher chegue ao orgasmo.
Isto é intolerável e não resiste à menor análise séria. É intolerável e ponto final.
A existência do apedrejamento ou enforcamento, tanto faz, para mulheres que "traem" os maridos é outra coisa que não resiste a nenhum multiculturalismo, pois a figura do homem que "trai" a mulher não existe nos países islâmicos: é só a mulher "traidora" que é punida, o homem é elogiado publicamente.
Quer dizer, falar que Sakineh teria participado do homicídio de seu marido no contexto da Justiça do Irã é, na verdade, um ATENTADO À NOSSA INTELIGÊNCIA, pois não existe justiça no Irã. Lá as mulheres e todos os grupos sociais que discordam do governo não podem se manifestar e, em certos casos, existir. Tudo pode ter sido uma armação oficial. Ponto.
Então, nada garante que houve o JUSTO PROCESSO, pois a mulher muçulmana é considerada uma não-cidadã. Não tem direitos. É um burro de carga e reprodução do homem.
A luta das mulheres dos países ocidentais e dos homens de bem pela libertação de Sakineh é, sim, uma luta contra o regime fascistóide do Irã e isso tem que ser dito com todas as letras.
O homem vive perambulando errático por este planeta ridiculamente pequeno há milhões de anos, em diferentes estágios de desenvolvimento, MAS SÓ HÁ MENOS DE 100 ANOS conseguiu adotar uma Declaração Universal dos Direitos Humanos e, mesmo assim, neste exato momento, governos de países como Irã, Argélia, Mauritânia, Nigéria, Tchad, Níger, Líbia, Arábia Saudita, Oman, Yemen, China, Laos, Coréia do Norte, Cuba, Mianmar e tantos e tantos outros, negam aos seus povos os direitos mais elementares, enforcando, apedrejando, fuzilando seus cidadãos e tendo o cinismo de cobrar das famílias o preço da bala usada na execução como faz a China.
Portanto, LIBERDADE PARA SAKINEH, seja o que for que ela fez, pois desde a hora do nascimento até agora, o Irã lhe negou o mais elementar dos direitos: o de ser considerada um ser humano.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Ela falou. Ela disse?

Alex Ferraz

Confesso que respirei aliviado quando ouvi o primeiro discurso de
Dilma Rousseff como presidente eleita do Brasil.
Ela afirmou, categoricamente, que defenderá a "irrerstrita liberdade de imprensa".
Temia eu que a presidente eleita fosse seguir os passos do PT radical que quer, a todo custo, censurar os meios de comunicação. Mas ela se mostrou republicana, digna.
Tomara que não volte atrás.
Até porque, curiosamente (para dizer o mínimo e não ser indelicado), estão nas hostes da própria imprensa defensores ferrenhos de censura. Parece incrível, mas é real: há, sim, inúmeros jornalistas, inclusive presidentes de sindicato e até da própria federação nacional, que defendem acintosamente o tal controle da mídia.
Parece que já se esqueceram (EU, NUNCA!) da maldita ditadura militar, que fez vítimas entre nós, sendo a mais conhecida delas Vladimir Herozog, morto nos porões do II Exército, em São Paulo.
Vade retro, satanás!

A gente termina cansando

Holanda: um padrão inatingível

Ricardo Líper

Pois é. A qualidade de vida do Brasil é péssima. Não acredito de maneira alguma que terá alguma solução. Vamos fazer um pequena lista do nosso inferno de todos os dias. Não se pode sair de casa que as possibilidades de ser assaltado são enormes. Não se pode adoecer e precisar de um hospital porque as possibilidades de se contrair uma infecção respiratória, se idoso, é quase certa e morrerás com a falência múltipla de órgãos. Estou falando SE você tiver um seguro saúde. Não tendo, cachorro é melhor tratado em clínicas veterinárias. As UTIs, no caso de idosos, é uma maneira de atender questionável, inclusive na opinião de alguns médicos . Nas nossas, pelo menos, em geral têm médicos muito jovens dando a impressão de serem recém -formados. Tudo funciona mal. Construções e mais construções prejudicando os moradores em volta só para construtoras ganharem dinheiro. Não se pode botar gasolina nos carros porque a gasolina é caríssima e só pessoas que ganhem muito dinheiro podem encher seus tanques. O transporte coletivo em Salvador, de onde escrevo, é quase inexistente. Só tem ônibus e os donos dessas companhias nao permitem outra forma de transporte. Nunca permitiram. Eles fazem o que querem. Domingos e feriados os ônibus quase não circulam. Tem muita gente que já se locomove com os próprios pés. Ou não sai e fica nos bairros tomando cachaça e tocando pagode. Muitos universitários e outros alunos de cursos não universitários vão para a escola e voltam, distâncias consideráveis, andando. O preço da passagem de ônibus é muito alto. Enfim, nem enumerei tudo. Só o básico, não existe saúde, escola, nem segurança. E não tem solução, será assim para sempre. O bom é o que alguns brasileiros estão fazendo. Passam algum tempo em países civilizados. Sim, precisa se ter alguma condição financeira, mas essa meta parece ser a luz no fim do túnel. Uma espécie de turismo político. Não sei se turismo político é termo correto. Ter momentos de paz que só em alguns países é possível. Viver com melhor qualidade de vida e em verdadeiras democracias onde todos, disse todos mesmo, têm os mesmo direitos. Onde religiosos não mandam nas questões de direitos civis e humanos do Estado. Porque o governo se respeita e é verdadeiramente democrático. Portanto, não permite que nenhuma facção da sociedade interfira nos direitos de todos porque compreende que se todos pagam os mesmos impostos tem de ter os mesmos direitos. Enfim, a utopia dos brasileiros é o exílio parcial e se puderem alguns, total. Se você pode, faça isso. Viaje a maior parte do tempo e só venha aqui administrar seus negócios. Aliás, como muitos estão já fazendo e, muitas vezes, até quem nos governa, observe.

"O povo votou no nosso projeto". O povo quem, cara pálida?


tonY Pacheco


Quem não votou em Dilma é maioria: 80 milhões de eleitores CONTRA ou INDIFERENTES ao chamado Projeto Lula 8+4+8 e apenas 55 milhões A FAVOR do projeto de Lula.

Não precisa interpretação, é só olhar os números do TSE:

Nº de eleitores: 135.804.433

Votos em branco: 2.452.597 (2,30%)

Abstenções: 29.197.152 (21,50%)

Votos nulos: 4.689.428 (4,40%)

Total que não votou em Dilma nem em Serra: 36.339.177

56,05% (dos votos válidos, não do total de eleitores) votaram em Dilma, isto é, 55.752.529

43,95% (dos votos válidos, não do total de eleitores) votaram em Serra, ou seja, 43.711.388

Total que não votou em Dilma: 36.339.177 + 43.711.388 = 80.050.565

28,2% não votaram em ninguém: 36.339.177, destes, 21,5% nem sequer se dignaram ir até os locais de votação: são 29 milhões dos 135 milhões eleitores que nem se tocaram.

PSDB GANHA EM POPULAÇÃO E PIB

Em termos estaduais, a oposição do PSDB ao projeto Lula 8+4+8 estará governando o Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Pará e os pequenos Roraima e Alagoas. São mais de 90 milhões de brasileiros e mais de 60% do PIB, isto é, da riqueza nacional.

O PT governará dois estados grandes, Rio Grande do Sul e Bahia, dois pequenos, Sergipe e Acre, e mais o Distrito Federal: são 30 milhões de brasileiros e apenas 16% do Produto Interno Bruto brasileiro.

Em síntese: o PSDB governará os estados mais populosos e mais ricos, vale dizer que São Paulo, sozinho, tem 34% do PIB nacional. Já o PT governará os estados menos populosos e mais pobres, com a única exceção do Rio Grande do Sul, que, sozinho, tem 7% do PIB brasileiro.

RELAXEM

Como conselho e canja-de-galinha não fazem mal a ninguém, eu acho que a galera que ganhou deveria ir bem devagar com o andor e segurar seus monstrinhos nas jaulas, porque o eleitorado mostrou aritmeticamente que não está afim do que estão querendo para o Brasil.

De 135 milhões de eleitores, só 55 milhões votaram no projeto do presidente que se vai (por enquanto?) e 80 milhões votaram contra. É gente pra dedéu... E isso para um presidente que as pesquisas de popularidade davam 82% de aprovação, o que o levou a pensar que iria eleger a sua candidata no primeiro turno com uma votação esmagadora (lembram da arrogância dele no primeiro turno? esculhambando todo mundo?).

Não só não elegeu, como seu maior opositor, o PSDB vai governar os estados mais populosos e ricos.

Então, se houver humildade, haverá alguma chance de termos paz e prosperidade. Se houver arrogância, a divisão do país entre o “Partido dos Grotões” (antigamente, a Arena, e, hoje, o PT) e a parte mais desenvolvida do Brasil pode virar uma guerra.

RECADINHO

Fica também o recadinho pretensioso para os verdes, os anarquistas e os socialistas libertários em geral: vocês notaram que 36 milhões de brasileiros NÃO QUEREM esta dobradinha PSDB/PT para o nosso futuro?

É gente pra cara... Some-se a isso, mais uns 12 milhões de adolescentes que podiam ter título eleitoral e nem se tocaram de tirar, tem-se aí uma Espanha inteira à disposição de movimentos sociais alternativos.

Mãos à obra!

sábado, 30 de outubro de 2010

Bactéria resistente again

Ricardo Líper

A minha preocupação não é com a bactéria. Ela pode até existir. Ela pode até ser como descrevem. A minha preocupação é com a ideologia que estão colocando em cima dela. Com os possíveis erros epistemológicos. Tirar o cu da seringa, Brasilino, entendeuuu? Isso eu posso dizer que entendo porque trabalho com isso: epistemologia, filosofia da ciência. O arrogante medicozinho não descarta opiniões de quem que não é médico? Pois é, a opinião dele isolada como técnico de operação da ciência é irrelevante. Ele é o bedel da ciência, não o cientista. Mas vamos aos fatos. A tal bactéria surgiu em 2001. Estados Unidos. Um país em que o presidente está preocupado com a situação da saúde da nação. Depois na França, Israel e, claro, Colômbia e Brasil. Fato importantíssimo, viu Brasilino, é típica, isto é, mais frequente em pessoas internadas em hospital. Pode ocorrer ou talvez tenha ocorrido na comunidade, mas onde estão os pacientes que a contraíram na comunidade? Salvador não está ainda incluída na lista das cidades com a tal superbactéria? Mas claro, não sabemos, cienticamente falando, Zé Brasilino, pois não existem pesquisas nem estatísticas nessas multidões empurradas em hospitais sem vagas.
O problema é que o surgimento dessa bactéria, me parece e é fundamental se esclarecer, ssurgiu primeiro em hospitais e depois se estendeu pela comunidade ou foi ao contrário. Isso sim, é importantíssimo porque vai chegar ao x da questão. A cientificidade do procedimento de internamento hospitalar tipo UTI e semi UTI, principalmente para idosos, é controvertida. Repare Brasilino, conte nos dedos quantas vezes você ouviu dizer que uma velhinha ou um velhinho foram internados com uma gripe, uma gripe Brasilino, ou para fazer uma operação na perna, e depois contraiu uma infecção respiratória, foram entubados, com direito a insuficiência renal e óbito. Conta nos dedos e anote no cardeninho Brasilino. Quantas vezes você já ouviu essa história? Mas o medicozinho não mata, não é Brasilino, portanto, vai continuar assim Brasilino. Internamento em UTIs gera muito dinheiro. Hospitais superlotados também. Sem vaga, o paciente fica na semi UTI porque não tem vaga para ir para o quarto Brasilino, aí de repente piora, entuba, UTI e cemitério. E, Brasilino, como investigar uma coisa dessas? Se Jack Estripador ou outro psicopata qualquer morasse aqui, que vestibular faria, Brasilino? Hem, Hem, Hem? Aliás, Hitler sempre teve a seu serviço um séquito de médicos. Eu gosto de comparar com Hitler porque esse criminoso foi o mais franco da história. Fez com requintes de crueldade o que essa macacada não assumida faz. Oprime, mata, tortura o semelhante e não quer assumir. Tem de sair do armário sim e dizer: sou nazista. Eu quero que os nazistas lato sensu assumam. Tá na hora de muita gente sair do armário. Armário não é só para viado não, tem muita gente que tem de assumir sim que é cretino, mata por negligência, é assassino, nazista. Me desculpa Brasilino, mas eu tenho um defeito. Quando enfio não boto só a cabecinha, só boto toda!

Como manter o poder para sempre no Brasil

Estude tudo sobre a Noruega e faça exatamente o contrário no Brasil, para se manter no poder para sempre. Povo educado, bem alimentado, culto e saudável não vota em você nem permite você roubar. Não faça isso com o povo brasileiro. Faça o contrário e delicie-se com o poder eterno.


tOny pAcheco


Diante da eleição de amanhã, que jogou nossa jovem democracia no esgoto (25 anos, contra os 234 da democracia americana, por exemplo) , com o presidente da República participando da campanha dia e noite e gastando recursos públicos (público aí é o meu e o seu dinheiro de impostos que pagamos do palito de fósforo e do feijão até o jatinho importado), surge a necessidade de refletir sobre o PODER, este ente que apaixona todo ser humano e destrói a maioria.
Ao chegar ao poder, todo político ou todo partido pensa, imediatamente, na próxima eleição. É da natureza humana (tentar se perpetuar, por causa de nossa frágil condição de ser que a cada dia morre um pouquinho...) e da natureza do poder, que é uma criação nossa: queremos sempre mais poder, no tempo e no espaço.
E por causa disso, pretensiosamente (alucinadamente? megalomanamente?), à la Maquiavel, resolvi fazer uma cartilha para um partido se manter no Brasil como num Reich de Mil Anos, sonho de Hitler.
Vamos didaticamente, como as professorinhas rançosas:

Primeiro - EDUCAÇÃO DE QUALIDADE - todo político que queira se manter no poder para sempre tem que sempre prometer Educação de Qualidade, o que significa, muitos professores, todos regiamente pagos (como fez o kaiser da Alemanha, que transformou seu país numa das maiores potências do planeta, já no séc. XIX), poucos alunos por sala, ensino universal da mais tenra idade até os pós-doutorados, recursos tecnológicos e materiais em geral, instalações confortáveis e amplas, dignas, para todos, alunos, professores e funcionários e muito, muito tempo livre para que os professores possam preparar suas aulas, PESQUISAR, produzir intelectualmente e, assim, chegar à tal EDUCAÇÃO DE QUALIDADE.
Só que, o político e o partido que quiserem ficar no poder para sempre no Brasil precisam PROMETER isso de maneira neurótica na TV, nas rádios, na Internet, nos jornais, nos comícios, mas, ao ganhar a eleição, têm que fazer, exatamente aquilo que se faz no Brasil há 510 anos: professor mal pago e por isso sem tempo, pois tem que ter vários "bicos". Escolas, como a UFBA e as escolas municipais e estaduais, caindo aos pedaços, sem segurança nenhuma, com assaltos permanentes. E quando inaugurar uma escola bonita, tem que cuidar para que não tenha nada lá dentro. Como na tal Universidade do Recôncavo, que o Lula inaugurou e continua sem professores, sem aulas, sem nada para a maioria, conforme denúncia dos pobres dos alunos que acreditaram na balela.
No poder, o político tem que tratar professores na porretada, pagando pouco e tratando mal. E por quê?
Porque imagine se o povo brasileiro tiver um dia, de verdade, educação de qualidade! Será desenvolvida a capacidade crítica, o povo terá uma visão filosófica do mundo e nenhum político mais poderá ficar pregando EDUCAÇÃO DE QUALIDADE, pois ela já existirá e ele perderá a eleição pois não tem mais o que prometer.

Segundo - A QUESTÃO DEMOGRÁFICA. Tem que se incentivar o nascimento de crianças e aumentar o acesso à saúde pública ruim para que morra menos gente precocemente. Classe dominante que se preze, se une a religiosos, publicitários, donos da mídia, para, juntos, fazer propaganda do natalismo, na contramão do que a natureza nos tem mostrado: já não há mais lugar para tantos seres humanos neste planeta, como diz a Carta Mundial do Partido Verde. Planeta que tem 1 bilhão de pessoas sem acesso à água limpa para beber. Outro bilhão que nunca fizeram uma ligação telefônica. Outro 1,5 bilhão que vivem com menos de 1 dólar (1 real e 68 centavos) por dia. E quase 4 bilhões que vivem na escuridão do analfabetismo funcional: sabem ler e escrever, mas os conhecimentos são tão pífios que não entendem o que lêem. Acho que, no Brasil, este número beira os 80% da população.
Nascendo muita gente, você tem mais chances de se manter no poder, pois mantendo todos na ignorância da escola ruim, dos professores sem formação (vide item anterior), você tem a tranquilidade de fazer campanhas eleitorais sempre batendo nas mesmas promessas que você tem certeza que nunca irá cumprir: educação, saúde, segurança, minha casa minha vida e por aí vai. E com muitos miseráveis ignorantes, você pode continuar comprando votos com apenas 80 reais por mês (uma pechincha!) através do Bolsa Família.
Agora, nunca cometa o erro do início do programa Bolsa Família: exigir que os pais mantenham os filhos nas escolas. Não. Menino pobre é pra catar lixo e ficar pedindo esmola na sinaleira. Se não, estuda demais, fica esperto demais e acaba não votando nem em você nem nos outros candidatos do seu partido. Dê o Bolsa Família e mande os pais procriarem mais para ter mais Bolsa Família e você mais eleitor idiota pra votar.

Terceiro - SÁUDE DE QUALIDADE. É fundamental ter hordas de miseráveis doentes para que se os mantenha sobressaltados, amedrontados com o dia de amanhã. Ninguém pode ter poder ilimitado num país como a Suécia, a Dinamarca ou a Noruega, onde da hora em que você nasce à hora que você morre, você tem certeza que terá acesso à saúde total. Naqueles países você não ficaria rico como político, não montaria quadrilhas no seu partido para assaltar o Erário.
É uó!!! Se inclua fora disso...
Prometa saúde para todos na campanha e no primeiro dia no governo comece cortando gastos com a saúde pública. Pobre precisa apenas ficar vivo para votar em você na próxima eleição.
Mas tem que ficar na fila desde a madrugada, encontrar médicos mal pagos e sem vontade de curar ninguém, se não for assim, como é que você vai ter a bandeira da saúde na sua próxima campanha?
Tem que ficar ruim pra você prometer sempre que vai melhorar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Quarto - Investimentos em INFRAESTRUTURA. Monte um esquema de marketing dizendo que você vai dotar o Brasil de infraestrutura de ponta: ferrovias, rodovias, aquavias, portos, aeroportos. Bata sempre nisso, pois é através de obras nestes setores que você no poder poderá urdir as mais bilionárias maracutaias com empreiteiros sempre dispostos a fazer obras que ficam muito bem mal-feitas e, assim, podem ser refeitas na próxima campanha e vocês ganharem mais dinheiro com uma estrada esburacada a cada dois anos.
Porto tem que ser raso para não entrar navios de grande calado e aí os exportadores terem prejuízos. Faça negociatas com os grandes empresários, mas nunca dê a eles a chance de ficarem tão ricos a ponto de não depender do seu poder político.
Rico é igual a pobre: todos têm que comer na sua mão.
Quanto a ferrovias, não instale nada ou instale pouco e onde não interessa: uma ferrovia entre Santarém e Rio Branco seria ótima. Você meteria a mão no dinheiro e ligaria nada a lugar algum e depois a mata retomaria. Ferrovia é um meio de transporte que não dá prejuízo, não requer manutenção milionária e depois que você instala, dura pra sempre (se não for na floresta). Quer coisa pior que isso pra você e seu partido? Solução definitiva é uó!
Prefira as rodovias, como todos os partidos brasileiros, dos colonizadores lusitanos de 1500 até hoje. Rodovia você faz mal-feita, dura menos que dois anos (vide a recuperação recente na malha rodoviária federal, andei 4.000 km recentemente e vi que tudo que foi feito há dois ou três anos já apresenta buracos),você superfatura à vontade, cobra por materiais de última qualidade o preço de materiais de primeira. E como plus, tem sempre, a cada eleição, como no caso da Educação e da Saúde, uma coisa para prometer aos otários e idiotizados eleitores.
E não se preocupe com desenvolvimento econômico. Ele é bom, mas demais dá gastura. Enriquece o povo e aí, pimba, você perde o poder.
Lembre-se, se você tem um Airbus pra ir pra todo lado que quiser, se tem helicóptero da Aeronáutica, navios da Marinha e seguranças aos montes, pra que o Brasil precisa de estrada boa, ferrovia etc.?
Deixe os pobres idiotas irem morrer nas rodovias que você cuidará para que sejam mal-feitas. Não se preocupe, você sempre chegará pelo ar, descendo na Base Aérea local. O povo que se lasque. É assim que se constrói o poder eterno.

Quinto - SEGURANÇA. Prometa sempre segurança, preocupação de 9 entre 10 brasileiros. Este 1 que não se preocupa é você, que tem as polícias e as Forças Armadas para segurar a onda sua e de sua quadrilha, ops!, família. Quer manter o seu poder para sempre no Brasil? Mantenha os policiais mal-pagos, com armamento defasado, sem manutenção, sem munição, com viaturas quebradas ou sem gasolina, sem treinamento. Assim, os policiais acabam nas mãos dos marginais, contaminando tudo.
E o que você, político, ganha com isso? Tem sempre o tema da SEGURANÇA para prometer na próxima eleição.

Sexto - AUTOMÓVEIS. Automóvel é coisa de classe média e classe média no Brasil nunca vota em quem está no poder. Então, para se manter no poder, mantenha essa galera chateada: facilite a compra de automóveis pelos mais pobres. Veículos sem ar, sem direção, se possível até sem volante. Mas que encham as ruas, enguicem bastante para atormentar o trânsito desta galera que não vota em você. E como suprema maldade, mantenha a gasolina a R$2,80 o litro e o álcool a R$1,90 (poderiam custar 28 centavos o litro de gasolina e 19 centavos o de álcool e ainda seria caro, mas você não faça esta bobagem). Tenha o combustível MAIS CARO DO MUNDO e se vingue da classe média: ela não vota em você e você em contrapartida tira uma BOLADA GIGANTE do bolso dela nas bombas dos postos de combustíveis. E tem mais: não faça obras estruturantes e sérias para desengarrafar o trânsito. Quando tiver que fazer alguma por causa da eleição, faça um conjunto de viadutos com tudo errado, sem contemplar os pedestres, de modo a mostrar que você faz obra, mesmo que não sirva pra nada e tudo continue engarrafado como antes. Mantenha o mal-estar, quem não vota em você merece os rigores de sua maldade (e não ligue se confundirem maldade com incompetência).

Lembre-se: o povo tem que viver no medo, assombrado, temeroso, inseguro. Povo feliz é povo que não vota em você. PROMETA TUDO e não faça nada (ou, quando fizer, faça mal-feito, pra poder ser prometido de novo e ser refeito, mal-feito, de novo, num ciclo infinito...).

Boas eleições senhores políticos e uma rica vida para vocês, pois nós, os otários, continuaremos aqui, como em "Matrix", tentando escapar das balas em câmera lenta.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A superbactéria

Ricardo Líper

Há alguns anos, surgiu em alguns jornais que existia uma superbactéria atacando todo mundo e imune aos antibióticos. Pode até ser. Eu não sou médico. Mas sou versado em filosofia da ciência e por isso não é fácil medicozinhos me enrolarem. Primeira medida é saber se ocorre mais em hospitais. Segunda, se é coisa daqui dessa pocilga chamada Brasil, Salvador etc. Se ocorre na Suécia, Dinamarca, Holanda, Finlândia e se na mesma intensidade daqui. E aí vem a pergunta capital. Por que os hospitais brasileiros, principalmente dessa Salvador cidade de muita dor, não são investigados? Por que não se instala uma rigorosa CPI para todos eles?

Um blog contra o Controle Social

toNy pacHeco

Você já leu "1984", de Orwell? Já leu "A Sociedade do Espetáculo", de Guy Débord? Já leu "Mitologias" de Roland Barthes? Não?
Não tem problema.
Há um blog que trata do assunto controle social pelas classes dominantes de todos os tempos que vai levar você a uma reflexão fantástica sobre o tema: trata-se de

http://aeradopanoptico.blogspot.com

Acesse e participe, você vai gostar pra baralho.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

O Bolsa Violência do Desarmamento


A vida é um bem inalienável e o Estado não pode limitar o poder do indivíduo de defendê-la.” (Eduardo Carlos Bittar, professor de Filosofia da USP)





"O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?"

Com esta frase capiciosa, o primeiro governo Lula/PT, estumado como pitbull pela Rede Globo e ONGs multimilionárias estrangeiras, há cinco anos (23 de outubro de 2005), os brasileiros foram chamados às urnas para decidir sobre o Estatuto do Desarmamento, uma lei de 2003 "bolada" por Greenhalg (sim, aquele petista mesmo...) parecendo missa encomendada.
A Frente do SIM, a favor da proibição de armas, foi chamada de “Por um Brasil sem armas”: nela apareciam atores da Globo para criar empatia com o povão do Bolsa Família, pois esta galera do Mal sempre pensa que o povo é idiota e pode ser levado na conversinha fiada.
- A Frente do NÃO, a favor da manutenção do comércio de armas de fogo, foi chamada de “Pela Legítima Defesa”, pois partia de premissas básicas: 1) o Brasil não tem segurança pública digna deste nome; 2) a contaminação do Judiciário, do Legislativo, do Executivo e das forças policiais é tão grande por aqui que nenhum cidadão se sente seguro; 3) a ninguém deve ser dado o poder de nos impedir de defender nossas próprias vidas.

Não deu outra, o povo votou esmagadoramente contra o Estatuto do Desarmamento de 2003 exigindo o livre comércio de armas e munições.
Eis o resultado:


NãoSimEm BrancoNulosComparecimentoAbstenção
Brasil59.109.265
(63,94%)
33.333.045
(36,06%)
1.329.207
(1,39%)
1.604.307
(1,68%)
95.375.824
(78,15%)
26.666.791
(21,85%)

Como sempre acontece, o nosso véio Nordeste, como tem o povo mais pobre do Brasil, teve apenas 57% de "não" (a favor do comércio de armas) e o Sul, a região mais guerreira e desenvolvida, votou com 79% a favor do "não", isto é, contra o desarmamento da população honesta.
Foi uma derrota acachapante do governo Lula e da sua então aliada Rede Globo: 59 milhões de eleitores defenderam o livre comércio de armas e apenas 33 milhões defenderam a proibição.
Curiosamente, algumas horas depois da derrota, o governo federal (leia-se, Sr. Lula da Silva) resolveu ignorar solenemente o resultado e as restrições ao uso de armas por cidadãos honestos, ao contrário do que se esperava, aumentaram. Foi o Bolsa Violência para os cidadãos honestos deste País.
Foi, como disse meu amigo Alex na "Tribuna da Bahia", um verdadeiro "estupro da cidadania".
O resultado para a população logo se fez sentir: a partir de 2005/2006, houve uma aceleração da bandidagem no Brasil como nunca se viu antes na história deste País. Você internauta, se for baiano, sabe do que estou falando. A Bahia acelerou a criminalidade a tal ponto que hoje não há município do interior que não tenha sido alvo de quadrilhas organizadas para assaltar bancos. Não há comunidade na periferia de Salvador, Ilhéus, Itabuna ou Conquista, que não seja território fechado de gangues de traficantes. E não há estrada neste estado que se possa trafegar à noite sem que bandos de salteadores, como na Idade Média, tomem ônibus, cargas de caminhões e caminhonetes dos incautos que ainda acreditam que aqui é o País das Maravilhas.
Quem tem dúvidas é só acessar o Google e ver o resultado da criminalidade no Brasil após o desrespeito ao resultado do referendo de 2005.
Agora, curiosamente, a grande mídia amestrada dos jornalões, as redes de TV, as rádios e, claro, os políticos, ninguém se lembra do estupro que foi o governo Lula ignorar o resultado do referendo. Pelo contrário, o dia 23 de outubro, que deveria, até por princípio jornalístico básico, ser objeto de matérias especiais sobre o aniversário do referendo, foi solenemente ignorado pela mídia. Huuuuuuummmmmmmmmmmmmmmm!!!
Também, curiosamente, o candidato José Serra, do PSDB, que deveria usar eleitoralmente este estupro da cidadania feito pelo governo do PT, não fala no assunto nem que a vaca tussa. Em qualquer democracia este assunto viria à baila no horário eleitoral, com Zé Serra esculhambando o desrespeito histórico. Deduzimos que ele no governo vai manter o estupro. Ou não?
Isso cansa.
Mas não canso zorra nenhuma. Todo ano vou bater aqui na mesma tecla: todo cidadão tem o direito de se armar para defender a sua vida e os seus bens. Quase 60 milhões de eleitores disseram isso em 2005 e eu não vou esquecer que vencemos (eu votei "não", isto é, votei a favor das armas para pessoas honestas) o referendo e fomos estuprados pelo governo federal da Lulalândia.
Faça sua parte. Comente aqui, comente com amigos ou não faça nada...

tonY pachecO

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Você já foi recenseado ou pesquisado?

toNy pacHeco

Gostaria de receber informações dos internautas sobre esta incrível realidade: até hoje, em toda a minha existência, nunca fui recenseado pelo IBGE. Eu não existo no Brasil.
Também nunca fui ouvido pelo Ibope, Gallup, CNT/Sensus, Datafolha ou qualquer outro instituto não só sobre preferências eleitorais, mas também sobre que rádio ouço ou que TV assisto.
E o pior é que conversando com amigos jornalistas, advogados, médicos e mesmo ex-camaradas capoeiristas, fiquei sabendo que nenhum deles também foi recenseado até hoje e também nunca foram ouvidos por institutos de pesquisa sobre absolutamente nada.
E você? Dê seu depoimento.

sábado, 23 de outubro de 2010

Tutti Buona Gente

Alex Ferraz
Tutti buona gente!
Hugo Chaves esteve com Mahmud Ahmadinejad, ditador nazista do Irã. Agora, visita outro ditador, o eterno “líder” Gadhaffi, da Líbia. Alguém estranha? Não eu, pois, ao contrário do que diz a “sabedoria” popular sobre “os opostos se atraem”, vejo aqui os idênticos cada vez mais ligados.Ditadores, unidos, jamais serão vencidos!E vamos lá, Avigdor Lieberman, Fidel Castro, Kim Jong Il, Robert Mugabe... Tutti buona gente!Em breve, num cinema perto de você...Me inclua fora disso!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Três Bombons e Uma Bomba - VI


Não é só aventura. Este Robin Hood é uma excelente reflexão política.

tOny pachecO

Já que o fim de semana pode ser de chuva, voltamos aos nossos bombons cinematográficos e aproveitando que o partido que nos governa e adora cobrar impostos pretende ficar mais e mais anos no poder, é bom refletir sobre o povo inglês, cujos heróis lutaram contra impostos injustos desde o séc. XII, coisa que o brasileiro, um povo carneiro, não se toca. Em cada 10 dias corridos, trabalhamos 4 para os governos federal, estaduais e municipais e o Chefe/Deus ainda acha pouco e pretende ressuscitar a CPMF...

1) “Robin Hood”, direção de Ridley Scott (aquele que dirigiu o “meu” melhor filme de todos os tempos, “Blade Runner”), com Russel Crowe. Você deve estar torcendo o nariz. Eu também torci. Mas o filme é em tudo diferente de minhas e das suas expectativas. É uma reflexão política, não é uma história para adolescentes nem crianças. Mostra o nascimento da consciência política do povo inglês, não por acaso, o primeiro povo a exigir de seus governantes compromissos com liberdade e transparência nos gastos públicos. Ótimo para nós, brasileiros, refletirmos. Nós, que somos um povo que gasta 40% do nosso ano trabalhando para pagar impostos para um governo que taxa tudo que consumimos e no final do ano ainda nos cobra Imposto de Renda e que ainda pretende ressuscitar um imposto (a CPMF), que é um imposto sobre o já taxado. E olhe que toda a mensagem do filme vem numa embalagem altamente bem-feita. O filme é pura aventura da melhor qualidade. Mas sem tolices típicas dos filmes de aventura.

Cotação: ***** (5 de 5 estrelas possíveis)

2) “Zona Verde”, direção de Paul Greengrass (o mesmo de “A Supremacia Bourne” e “O Ultimato Bourne”), com Matt Damon. Você que acompanha o blog osinimigosdorei já está careca de saber que a derrubada de Saddam Hussein no Iraque não teve nada a ver com armas de destruição em massa como o ex-presidente Bush disse, mas o filme mostra isso de maneira extremamente inteligente e mais, mostra como a mídia amestrada come tudo que dão pra ela engolir e não fala nada por que é educadinha: não se fala de boca cheia, né verdade?

Cotação: **** (4 estrelas)

3) “O Sonho de Cassandra” (Cassandra's Dream), de Woody Allen, com Collin Farrell e Ewan McGregor. O diretor judeu-americano está quase irreconhecível neste filme que mostra, como sempre, o absurdo da existência humana. Dois irmãos ingleses, um vulgar e o outro mentiroso. Ambos se metem num assassinato encomendado por um tio todo torto, mas tido como generoso. O final é aquilo mesmo. Assista tomando um vinho frisante italiano, como diria Ricardo Líper, afinal, com o dólar baixo, um Lambrusco legítimo sai a 11 reais a garrafa e viva a globalização. E lembre-se, FHC também brincou de dólar desvalorizado e a gente se fu... logo depois. Aguardem, pois!

Cotação: **** (4 estrelas)

UMA BOMBA

“A Família da Noiva” (Guess Who), com Ashton Kutcher e Bernie Mac. Pense num filme que tem um argumento previsivelmente bom (garoto branco namora garota negra) e tem tudo pra ser uma comédia inteligente. Pensou? Não é este aqui. Kutcher, que além de bonito demais é excelente ator, é subaproveitado e a história se arrasta numa chatice só. Confira, se você é apaixonado por filmes que são feitos pra chatear.

Cotação: ** (2 estrelas só por causa da presença de Ashton)