domingo, 18 de outubro de 2009

Galileu


Não deixe de ler

Ricardo Líper

Não tenho pudor de recomendar uma revista quando ela é boa. A revista "Galileu" desta vez fez um trabalho excelente. Corra para comprar que vale a pena ler quase todas suas páginas. Principalmente a matéria de capa que elimina uma série de ideias que picaretas de vários tipos ficam por aí espalhando. Coisas do tipo se comer engorda, plantar árvores salvará o planeta etc. Que escola é bom e educa os alunos. Que professores são anjos, aliás, sobre isso, em breve, os colocarei no devido lugar, isto é, no Tribunal de Nuremberg. A grande maioria é fascista. A grande maioria não vale nada. Ruins com os colegas, intrigantes, mesquinhos, desequilibrados.
A "Galileu" recomendada é a Edição 219, deste mês de Outubro de 2009.
Não percam: vale a pena!

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. não sobrará pedra sobre pedra.

    Como viveremos sem os "mitos" cultivados desde priscas eras?
    Um tédio!? Só teremos, diante de nós, as nossas próprias vilanias...

    ResponderExcluir
  3. Salve Ricardo!
    Parabéns pelos planos de iniciar um Tribunal de Nuremberg para nosso ensino e escolas (professores, funcionários, alunos, pais de alunos ...).
    E não se esqueça de incluir o grande crime da (nunca citada) reforma do ensino profissionalizante, que reduziu cursos de 4 anos para 1 ano e meio (entre outras bobagens).
    Saudações!
    Clovis R. S. Filho.
    http://educacaoepatrimoniocultural.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ô professor, ESPALHANDO se escreve com "S" e não com "X".

    ResponderExcluir
  5. Para quem quiser ver Ricardo Liper falando da Aristocracia Acadêmica é só ir ao endereço seguinte:
    http://midia-rebelde-plus.blogspot.com/
    A apresentação aconteceu no Seminário Cem Anos Sem Ferrer, na Faculdade de Educação da UFBA.

    ResponderExcluir

Se vai acusar alguém nominalmente, identifique-se e anexe as provas. Não vamos pagar indenização na Justiça por acusações que não fizemos.